quarta-feira, 26 de novembro de 2014

O 1º RAIO DE VONTADE E PODER NO HORÓSCOPO





Introdução

No estudo a seguir pretendemos demonstrar que o raio da Alma de um sujeito pode ser detectado em seu horóscopo, sempre e quando se tratar da carta natal de uma consciência muito destacada em seu próprio âmbito de expressão.
 
Lembramos que já há um primeiro estudo, “O reflexo do IV Raio no horóscopo” publicado em 29-08-14.


Os 7 Raios
Os 7 Raios são as 7 Energias Divinas que interpenetram todo o universo, oferecendo um sem fim de matizes criadores em suas interações com a matéria básica.

A astrologia esotérica entende que estas 7 energias principais chegam ao nosso sistema solar através das qualidades das 12 signos do zodíaco, concretizando sua definitiva influência no aspecto mais material que representam os planetas.

De um ponto vista psicológico, o ser humano, com seus múltiplos aspectos, como são o Espírito, a Alma, e a Personalidade, com sua Tríade inferior, Mente, Emoção e Corpo Físico, logicamente também está interpenetrado por todas estas energias, embora neste estudo só centraremos nosso esforço para descobrir o tipo de raio que rege o aspecto Alma, que é a consciência mediadora entre a Mônada (espírito) e a Personalidade (Tríade inferior), daí a importância de seu reconhecimento. 





Método de estudo

Para podermos compreender melhor o reflexo do raio da alma em um horóscopo, primeiramente fixaremos a nossa atenção reflexiva em uma afirmação feita pelo Mestre DK – Alice Bailey, para posteriormente investigarmos nos horóscopos relacionados com referida afirmação o reflexo do raio correspondente.

Concretamente a afirmação sobre a qual basearemos este segundo estudo foi extraída do livro “Psicologia Esotérica I”, e faz uma referência explícita ao 1º raio de Vontade e Poder:

O método característico deste 1º raio para empreender a grande Busca se fará mediante a força da vontade. Um homem desta natureza poderia, por assim dizer, arrebatar o reino dos céus "pela violência", observamos que o dirigente nato pertence a este tipo de raio, total ou parcialmente. Produz o chefe supremo, como Napoleão ou Kitchener”.








Os Três signos-chave para o 1º Raio

Áries – Leão – Capricórnio segundo nos diz o livro “astrologia esotérica” de Alice Bailey, são os três signos portadores do 1º Raio de Vontade e Poder ao nosso sistema solar, e realmente estes três signos, na astrologia mais tradicional, entre outras coisas, se caracterizam por sua grande capacidade de expressar o poder diretor de forma implacável.

Seu significado Esotérico:

  • Áries é o poder de ser o primeiro, a primeira ideia ou impulso condicionante que promove a manifestação. A existência e sua verdadeira intenção.

  • Leão é o poder da luz interna ou autoconsciência própria. O indivíduo que percebe, se reconhece, é, e expressa com eloquência, seu “eu sou”.

  • Capricórnio é o poder de concretizar na matéria básica. A Lei que condiciona as estruturas da matéria. É, portanto,, o campo para que o genuíno primeiro impulso de Áries promova a experiência que permitirá ao Leão a aquisição de maior autoconsciência.

Simbolicamente e entendido de forma geométrica, podemos dizer que Áries pertence ao Espírito, Leão à Alma e Capricórnio à Personalidade. 1-2-3.


O papel dos Planetas regentes

Os planetas regentes dos três signos acima mencionados são muito importantes a ter em conta na análise final, embora em si mesmos não representem o 1º Raio, que são os portadores, através de suas regências e colocação por signo, da definitiva razão de que os 3 signos transmissores do 1º Raio possam ostentar na totalidade do horóscopo.

Apresentamos a tabela de regências, base dos nossos estudos, proposta por Alice Bailey em seu livro Astrologia Esotérica.


Tabela de regências

Constelação   Ortodoxa     Esotérica      Hierárquica

Áries                  Marte               Mercúrio            Urano
Touro                Vênus               Vulcano              Vulcano
Gêmeos              Mercúrio          Vênus                 A Terra
Câncer              A Lua                Netuno               Netuno
Leo                    O Sol                 O Sol                  O Sol
Virgo                 Mercúrio            A Lua                Júpiter
Libra                  Vênus                 Urano                Saturno
Escorpião           Marte                 Marte                 Mercúrio
Sagitário             Júpiter                A Terra               Marte
Capricórnio        Saturno              Saturno               Vênus
Aquário              Urano                 Júpiter                 A Lua
Peixes                 Júpiter                Plutão                 Plutão





Os dois planetas do 1º Raio de Vontade e Poder

Plutão e Vulcano são os dois planetas que concentram a influência do 1º raio em nosso sistema solar.

  • Plutão é o aspecto mais transformador (destruidor) deste raio. Ele é capaz de revitalizar o corpo inteiro (etérico-emocional-mental) através de seu poder de fazer “morrer e renascer”. Na lenda, Orfeu busca no reino de Plutão a sua alma perdida.

  • Vulcano é o aspecto mas construtor do 1º raio. Sua qualidade é a persistência para uma vontade que nos aproxime do Ser em maiúscula. Sua constância é a modeladora do “como” deve ser expresso o propósito que toda Vida carrega em si mesma.

Neste estudo não vamos nos concentrar em demasia em Vulcano, este planeta inter-mercurial não foi descoberto, e seu significado ainda é profundo e difícil de entender. É dito que um planeta é descoberto quando uma parte importante da consciência da humanidade está capacitada para compreendê-lo.

Para a astrologia esotérica, seu significado em um horóscopo está velado pela Lua ou o Sol, a luminares não são planetas e o poder subjetivo de sua luz, segundo o nível de consciência do sujeito a estudar, nos dá informações sobre o papel que um Vulcano ativado exerce em referida consciência; mas devido à complexidade deste tipo de interpretação, neste estudo, a não ser que apareça um Touro muito forte, não serão tidos em conta suas regências ou aspectos.





11 Exemplos para a análise

Para o estudo relacionado com o texto de Alice Bailey, escolhemos 11 dirigentes, ditadores, revolucionários, imperadores …, de grande renome histórico, com a intenção de encontrarmos em seus horóscopos o reflexo do 1º raio.

Antes de começar, aconselhamos a olhar os horóscopos com amplitude, como um todo, onde nossa mente possa prestar atenção nos 3 signos mais condicionantes e seus planetas, por cima das casas e aspectos planetários. O que mais nos dá a saber com que facilidade ou dificuldade (aspectos) ou através de que âmbitos ou situações (casas) se expressaram os donos destes horóscopos, se já sabemos de antemão pela informação histórica que a energia foi generosamente manifestada?.

Assim pois, é o matiz das constelações que nos acerca das 7 qualidades divinas do universo, e são os planetas com suas definitivas regências e/ou presença angular que concretizam o resultado final.


Exemplos 


1- Julio Cesar
Não temos o ascendente do Horóscopo deste grande imperador romano, mas mesmo assim é possível observar um Capricórnio muito forte, com presença de Saturno oposto ao Sol. Por outra parte, o regente esotérico e hierárquico de seus planetas em Câncer é Netuno em Áries, e o regente hierárquico de Áries é Urano em Capricórnio. Finalmente, Vênus em Leão é regente da Lua em Libra e regente hierárquico de Saturno em Capricórnio. A Lua é aspectada por Plutão.





2- Carlos Magno

Mostrando 1 rayo charlemagne.gif
É claramente evidente o poder que exercem Leão-Capricórnio-Áries neste horóscopo, com uma Lua aspectada por Plutão e um Urano e Saturno angulares. As linhas regentes também derivam nos três signos principais.



3- Alexandre o Grande


Também é claramente evidente o poder que exercem Leão-Capricórnio-Áries. Pluton dominante e Urano regente hiérarquico do Aries.





4- Napoleão I



No horóscopo do grande imperador francês não se detecta a presença de Áries, mas sim de um planeta Marte poderosamente aspectado. O ascendente está regido por Marte em Virgem, regido exotericamente por Mercúrio em Leão angular, e esotericamente pela lua em Capricórnio. Leão está pleno de poder na casa X com o Sol. Capricórnio contém Plutão e a Lua oposta a Saturno.

Por outro lado, sabemos que Napoleão foi uma personalidade de 4º Raio de Harmonia no Conflito. Os signos transmissores deste Raio, como já dissemos no primeiro estudo, são Touro-Escorpião-Sagitário, e na verdade estes signos estão presentes neste horóscopo, embora, e isto é muito importante, a linha final de seus regentes nos conduza a Leão ou Capricórnio, portanto a energia diretora final, seja a personalidade consciente disso ou não, é a do 1º Raio de Vontade e Poder.

Este é um exemplo claro da necessidade de dar muita importância aos regentes dos signos mas proeminentes. E neste caso Leão-Capricórnio se impõem a Escorpião-Touro. Isto não implica em que os matizes do Ascendente Escorpião não sejam os que a Alma de Napoleão necessitou para avançar. Nas reflexões astrológicas, a intuição ou síntese alcançada posteriormente se deve dividir em suas diferentes partes, para aprofundar na análise que nos acercará de uma realidade mais concreta




5- Simon Bolivar
No horóscopo do “libertador” venezuelano também é muito evidente o poder dos três signos (Leão-Capricórnio-Áries) transmissores do 1º R. Saturno e Urano voltam a ser angulares, e a Lua é aspectada em trino por Plutão.





6- Herbert Kitchener
No horóscopo do militar e dirigente britânico há também uma participação clara dos três signos, estando o sol regido pela Lua em Capricórnio, Saturno em Áries e Marte em Leão. Netuno, o regente esotérico e hierárquico do poder que ostenta Câncer no horóscopo, está regido por Plutão em Áries. A Lua é apectada por Plutão.

7- Mao Tse Tung
No horóscopo do líder da revolução chinesa, Capricórnio e o Leão mostram grande poder, Áries não tanto, embora nele resida o nodo norte, e Marte é  regente exoterico do  horóscopo. Saturno e Urano se mostram angulares, e a Lua, regida pelo Sol em Capricórnio, é aspectada por Plutão.



8- Emiliano Zapata
Novamente é evidente o poder angular e planetário dos três signos Leão-Capricórnio-Áries na carta natal do líder máximo da revolução mexicana. Capricórnio é o mas débil porque só conta com a presença do nodo norte, mas Saturno, seu regente, se mostra muito poderoso. As energias taurinas aqui são destacadas, Vulcano, regente esotérico e hierárquico de Touro, como planeta inter-mercurial sempre está muito próximo ao Sol, portanto Leão é o regente de Touro. A energias de Virgem são regidas esotericamente pela Lua em Áries.



9- Adolf Hitler
Claramente de novo os três signos Leão-Capricórnio-Áries transmissores do 1º Raio destacam neste horóscopo, junto com a presença de Touro, signo regido por Vulcano, que muito bem poderíamos situar entre o Sol e Mercúrio em Áries. Novamente aparecem um Saturno e Urano angulares. Plutão não exerce um papel destacado. Como já foi dito no estudo individual feito em artigos passados deste horóscopo, Leão através de Saturno exerce um papel primordial.



10- Otto Von Bismarck

No horóscopo do dirigente germânico, novamente os três signos Leão-Capricórnio-Áries ocupam os lugares mas importantes do horóscopo. Saturno angular e Vênus em Touro exercem um papel importante na totalidade. O regente esotérico do Sol, Mercúrio, está em conjunção com Plutão.


11- Helena Blavatsky

Acrescentamos o horóscopo de Helena, porque primeiramente sabemos de antemão que foi uma Alma de 1º Raio, mas também porque em sua experiência vital teve que mostrar grande capacidade de dirigir.

Em Seu horóscopo podemos detectar uma grande presença dos três signos Leão-Capricórnio-Áries transmissores do 1º Raio, mas o que mais chama a atenção é que Netuno, o regente esotérico do ascendente ou a energia zodiacal que “ajuda” a Alma em determinada vida, se situa em Capricórnio em cúspide angular. Isto nos fala de uma Alma de 1º Raio (Capricórnio), com uma grande presença externa (regente esotérico do ascendente angular), muito motivada por um ideal ou devoção (Netuno).
Plutão, o portador do 1º Raio, desde Áries na casa X aspecta poderosamente a Lua.








7 Observações finais

Nesta sequência de horóscopos de grandes “dirigentes natos” foi possível detectar:

1 - Uma grande presença de Áries-Leão-Capricórnio, onde muitas vezes se situa um dos dois luminares ou signo Ascendente, e/ou planetas determinantes por regência da totalidade do horóscopo.

2 - Uma Lua muito capricorniana.

3- Uma Lua com frequência aspectada por Plutão. Este aspecto, de uma perspectiva psicológica evoluída, dá a entender um dom natural que permite uma constante revitalização das formas expressivas, mas básicas. O instinto natural pode ser submetido à vontade transformadora. A prisão da Alma (corpo físico) pode ser “violentada” por própria vontade, daí o aspecto escuro da relação quando afeta a consciências excessivamente materialistas, mas na verdade pode ser uma relação muito purificadora, como Mozart, sem ser uma alma de 1º R, foi uma  alma de 4ºR, extraiu sua grande capacidade de constante renovação ou motivação criativa deste aspecto tão presente e importante em seu horóscopo.

4 - Um Sol com frequência leonino e angular.

5 - Um poderoso Saturno, e com frequência também um Urano, angulares.

6 - Certa poderosa presença de Touro, onde Vulcano, seu regente, deve ser sempre analisado da posição solar.

7- Não aparece a cruz mutável nos ângulos (Asc, Mc), dando a entender que os donos destes horóscopos tinham certa incapacidade para ser flexíveis; embora do aspecto positivo, dê a entender uma fixação constante (cruz fixa) e poder ativo (cruz cardinal) para um propósito ou vontade.


Conclusão

Pensamos que para detectar o poder de um raio determinado em um horóscopo, primeiramente é condição básica nos assegurarmos de que a carta natal a estudar pertence a uma consciência muito destacada em seu âmbito de expressão social. A maior consciência e poder de expressão, maior reflexo das qualidades divinas no horóscopo. Uma vez assegurado isto, se faz necessário realizar simultaneamente duas análises astrológicas:


1- Visualizar o poder de síntese dos 3 signos transmissores do raio a estudar, para depois, através das regências finais, descobrir seu poder real no horóscopo em questão. 

 
2- Detectar o tipo de qualidade ou significado do planeta/as cúspide – angular (si é que há) e suas regências finais.






David.C.M. (logos.astrologiaesoterica@gmail.com)

quarta-feira, 29 de outubro de 2014

Investigando o poder dos 4 ângulos através de dois horóscopo. (2parte)





Introdução:
Este artigo é uma continuação do anterior que, através de dois exemplos muito significativos, pretende aprofundar o significado e poder que os ângulos exercem em uma carta natal. É evidente que há uma infinidade de cartas de personalidades destacadas nas quais se pode observar o poder expressivo-ativo que exerce o ângulo no mundo exterior, mas nosso estudo vai se centrar em duas pequenas reflexões feitas pelo Mestre Tibetano e Alice Bailey, sobre os horóscopos de Helena Blavatsky e Adolf Hitler, em seu esplêndido livro “Astrologia Esotérica”.

Curiosamente, estes dois exemplos são as duas únicas referências pessoais pronunciadas em todo o livro, e nestes níveis de consciência não cremos nas casualidades, portanto consideramos que investigar estas duas cartas natais, através dos comentários do Mestre, é uma oportunidade única para procurar unificar em nossa consciência a astrologia esotérica com a mais exotérica ou tradicional.





2 EXEMPLOS PARA O ESTUDO:

  • Helena P. Blavatsky

(nomeada por Alice Bailey – DK no livro Astrologia Esotérica quase no final do capítulo de Libra)

Daí a efetividade de Libra no plano físico e o poder do sujeito evoluído de Libra de projetar a expressão física, o propósito espiritual interno, ou a vontade intencionada. H. P. Blavatsky foi um exemplo disto; era uma pessoa que estava facultada para fazê-lo.”







Uma vez lido o texto, se observamos a carta de Helena, é uma evidência astrológica que a angularidade de Vênus Lua em Libra exercem grande poder nesta carta, já que sua presença angular está secundada por variadas e poderosas regências e aspectos.

Vênus angular em Libra está em seu próprio signo exotérico e, além disso, é o regente hierárquico* de Netuno, (regente esotérico de Câncer-ascendente), e o regente exotérico da Lua, (regente exotérico do ascendente), portanto podemos dizer que Vênus é o dono final da Alma de Helena Blavatsky, já que Vênus é dono último de seu signo Ascendente Câncer, a qualidade da Alma.

A lua em Libra, por sua vez, é regente exotérica de Câncer no ascendente, esotérica de seus planetas em Virgo e a regente hierárquica* de seus planetas de Aquário, além de exercer um trino aplicativo sobre Urano, o regente hierárquico* de Libra. Urano para nós, nesta carta, é o regente da consciência interna (cruz fixa) de Helena, condicionando em grande maneira sua energia solar e expressando-se externamente através da Lua – Vênus.

A cruz cardinal neste horóscopo está muito ativada, e em Libra se centram seus poderes mais brilhantes, já que neste signo residem Vênus e a Lua, dois planetas de cercania pessoal com grande capacidade de regência no horóscopo. O dom ou “atrativo” deste horóscopo reside nos dois planetas que há em Libra e é graças a eles que Helena pode expressar o poder muito mais impessoal ou da Alma que sugerem seus Netuno e Plutão angulares.

Diante de suas obras e atitudes, é claro que Helena tinha em si mesma a qualidade destacada de Libra para seres evoluídos que nos diz o texto: projetar a interna vontade espiritual através da forma de atuar ou corpo físico, e esta qualidade tem um reflexo muito forte no ângulo FC de seu horóscopo, o ângulo, como já dissemos no primeiro artigo, no qual a aspiração da alma se une com o corpo físico.


Para mais informações sobre o horóscopo desta grande discípula, consulte o artigo “o horóscopo de Helena P. Blavatsky” publicado neste blog em 02-07-14.


                               *  *  *  *  *  *  *




  • Adolf Hitler

(nomeado por AB – DK no livro AE logo no início do capítulo sobre Leo)

.... existe uma pronunciada atitude nestes ditadores – que frequentemente é ignorada, mas que tem verdadeiro valor racial. É a atitude que conduz à síntese da vida, objetivos e intenções nacionais. Um exemplo típico desta atitude é a de Hitler. Não importa qual seja a nossa opinião pessoal sobre ele, não cabe dúvida que unificou, fusionou e mesclou os distintos elementos na raça germânica. Tal atividade é de natureza aquariana, mas em seu aspecto mais inferior e indesejável. Sua natureza é leonina, porque as pessoas que podem produzir estes resultados devem ser necessária e incessantemente autoconscientes, característica principal da pessoa de Leo. Não sei o papel que este signo possa desempenhar no horóscopo de Hitler, pois não o investiguei, mas desempenha uma parte muito proeminente no horóscopo de sua alma.”


É evidente para qualquer astrólogo que o poder que Leo exerce através de Saturno no MC neste horóscopo é muito grande. O MC, em muitos sentidos, é o ângulo mais poderoso de uma carta, mas não socialmente falando, e Saturno sempre é um planeta que obriga o cumprimento, neste caso um cumprimento com a qualidade do Leão.









O Horóscopo visto do aspecto Alma:

Os pontos que falam especialmente da Alma neste horóscopo são:

  • Ascendente Libra: Saturno é regente hierárquico* e por exaltação deste signo
  • Urano, regente esotérico de Libra, é regido hierarquicamente* por Saturno e aspectado por sêxtil.
  • Vênus, regente exotérico de Libra, é aspectado poderosamente por Saturno.
  • Saturno é regente esotérico da conjunção Lua-Júpiter em Capricórnio.
  • O regente de Saturno em Leo é um Sol angular.

O Leão, como nos diz o texto do livro, impõe a sua lei na Alma de Hitler utilizando para isso a influência de Saturno sobre os pontos-chave que nos falam da Alma.

O Saturno – Leo de Hitler são os responsáveis por expressar de forma unificada e poderosa o papel de Alma que sugere Urano na casa 1 oposto a contraforças mais pessoais da casa 7. A incessante autoconsciência, da que nos fala o texto, irradia desde o MC, arrastando com ela o poder comunicador da linha 1-7.



O Horóscopo analisado do aspecto Personalidade:

Os pontos que falam especialmente da personalidade são:

  • Vênus, o regente exotérico do Sol em Touro, é aspectado de forma adversa por Saturno angular em Leo.
  • O Sol mesmo angular (a energia pessoal) se acerca por aplicação a um aspecto de quadratura com Saturno em elevação.
  • Lua-Júpiter nodo sul regidos exotericamente por Saturno angular.

É evidente que Saturno também transmite sua lei leonina sobre as forças mais pessoais ou exotéricas de Capricórnio e Touro, embora sem esquecer a energia taurina, o grande referente pessoal da carta.

Neste parágrafo mais materialista pessoal se poderia analisar o poder de Saturno em um sentido mais tradicional, assim este poder saturnino, com sua quadratura sobre Vênus, sugere haver gerado grande frustração na imatura e sensual personalidade taurina de Hitler que, por razões cármicas, derivou em crueldade.

O touro frustrado só encontra consolo no leão orgulhoso, implacável egoísmo que se materializava em Capricórnio. O poder de Saturno sobre a conjunção Lua-Júpiter com o Nodo sul em Capricórnio sugere uma reencarnação sumamente cristalizada ou inflexível.

A linha angular 1-7 Urano-Mercúrio Libra – Áries, (em certa medida muito ligada à aspiração da alma), foi sua grande capacidade de comunicação brilhante e sedutora, embora esta linha horizontal, regida exotericamente pela conjunção Marte-Vênus, sugira estar muito mal integrada, devido à difícil, sim, mas mal compreendida quadratura que Saturno exerce sobre a conjunção. 
 
Tendo em vista a nefasta atitude de Hitler até o final de seus dias, é claro que não houve compreensão da oportunidade saturnina, que teria dado um acesso consciente à luz da alma em Libra Ascendente e a uma compreensão iluminada do poder de seu esplêndido Urano oposição a Mercúrio, mas isto já é outro cantar, muito relacionado com o que sempre dizemos neste blog: “toda interpretação de um Horóscopo depende do nível de consciência espiritual que entesoura seu dono”.

Os signos Leo - Áries - Capricórnio - Touro nos falam de uma Alma de 1º Raio de Vontade e Poder, evidentemente um poder deste calibre em mãos de uma consciência egoísta se traduz como poder destruidor.

                              *  *  *  *  *  *  *







                                                 Conclusão
Nos dois exemplos expostos se pode observar claramente a oportunidade que oferece o ângulo para exteriorizar energias, qualidades e forças, portanto, para todo aquele que queira praticar a astrologia com intenção de conhecer a si mesmo ou de ajudar aos demais a conseguir isso, quando observar um horóscopo será necessário primeiramente analisar a condição dos 4 ângulos respectivos com seus signos, regências e presenças, e daí observar como a consciência do sujeito dono do horóscopo está gestando referida condição angular.






                               A inter-relação das três cruzes
A constante luz da cruz fixa (símbolo da Alma) gera a compreensão interna que produz a mudança vital na cruz mutável (símbolo da Personalidade), mudança ou mutabilidade que permite a manifestação ativa da intenção da alma na cruz cardinal (símbolo do Espírito).

                              *  *  *  *  *  *  *





* regência: hierárquica
A astrologia esotérica proposta por Alice Bailey, contempla três tipos de regência. A Exotérica, relacionado com o aspecto mais material e pessoal do indivíduo. A Esotérica, relacionada com o aspecto amor, ou a alma como consciência mediadora do indivíduo. E a Hierárquica, relacionada com o aspecto vontade, ou a dinâmica espiritual criadora do indivíduo. Os três aspectos são considerados sagrados por nossa astrologia, porque na união dos 3 está a perfeita expressão do 1; embora pareça lógico pensar que para alcançar referida unidade, primeiramente se evolui desde as experiências mais básicas inscritas no regente exotérico, para alcançar paulatinamente as mais sublimes que o regente hierárquico promete, e tudo isso graças à constante aquisição de autoconsciência, representada pelo regente esotérico.

Não gostamos de falar muito do regente hierárquico, consideramos que nesses dias já é uma grande novidade e complexidade incluir nas análises astrológicas o regente esotérico junto com o exotérico, mas muitas vezes nos vemos obrigados a utilizar o terceiro para arredondar melhor o raciocínio.

É possível buscar referências às regências hierárquicas na tabela exposta por Alice Bailey em seu livro “Astrologia Esotérica”, embora em próximos artigos a nossa intenção seja publicá-la no blog.


David C.M. (logos.astrologiaesoterica@gmail.com)

quinta-feira, 9 de outubro de 2014

O poder dos 4 ângulos na carta natal (1parte)




                                   As 4 janelas do horóscopo

Se nos situamos no centro do círculo de um horóscopo, seus 4 ângulos, Ascendente, Fundo do céu, Descendente e Meio do céu, nos marcam os quatro pontos cardinais que geram o espaço físico, no nosso caso, a Terra, através do qual a vida se manifesta.

Estes quatro ângulos são as ancoragens através das quais se projeta externamente a energia, qualidade e força expressiva que todo horóscopo em si mesmo entesoura.

O tipo de manifestação dependerá em grau sumo do nível de consciência do sujeito dono do horóscopo em questão. Para uma consciência muito material, o manifestado terá uma tônica autocentrada e com capacidade de manipular o entorno para adequá-lo a seu desejo personalista, estando no outro extremo de nível consciência, o manifestado terá uma tônica inclusiva, com vontade espiritual e qualidades de amor altruísta. Como sabemos, entre os dois extremos há um sem fim de matizes, mas neste blog centramos nossos esforços em compreender a Astrologia Esotérica, portanto nossas reflexões põem a atenção na consideração sobre a realidade espiritual interna que se abriga por trás da atividade externa, e não tanto sobre o aspecto físico da atividade em si mesma, embora sempre seja importante mostrar o máximo a respeito das forças pessoais ou exotéricas, já que nelas está a raiz para que a Alma possa se manifestar.




Características dos 4 ângulos de um horóscopo.

Nesta primeira análise não vamos levar em conta o signo dono do ângulo, mas somente o significado do ângulo em si mesmo, uma vez o tenhamos compreendido, para o final do artigo e em outro posterior, prestaremos nossa atenção no tipo de influência que exerce nestes 4 pontos o signo e a presença de um possível planeta.

É claro que a energia do signo é a que dá qualidade à força expressiva do ângulo, mas também é evidente que graças ao poder angular, a cor ou matiz do signo pode ser expresso generosamente.


Ascendente – Casa 1
  • Neste ângulo reside o poder do primeiro impulso, o lugar do nascimento, onde se produz a autoafirmação “eu sou”. Em consciências com intenção espiritual, esta autoafirmação faz referência à aspiração por Ser da Alma, mais do que ao desejo de possuir da personalidade.
  • O 6º raio de Devoção (Marte) manda neste lugar do horóscopo, a motivação que impulsiona a Alma a reencarnar, a devoção, luta e aspiração para o ideal da Alma, mostram sua realidade mais profunda no ascendente.


Fundo do Céu – Casa 4
  • Aqui o “desejo” da Alma se reveste de uma forma material ou aparência*. Neste lugar, a profunda raiz da matéria se nutre da experiência adquirida em vidas passadas para criar a forma de expressão* com a que o “eu sou” é “obrigado" a conviver e mostrar suas intenções.
  • O 4º raio de Harmonia no Conflito (Lua) é a essência deste lugar. A livre consciência ou Alma “penetra” na prisão de um corpo físico*, o conflito é evidente e se faz necessária a harmonia que unifique o de cima com o de baixo.


Descendente – Casa 7
  • Este lugar é o complemento do “eu sou”, o lugar onde a autoafirmativa intenção é amorosamente aceita pelo entorno. No encontro com “o outro” se aprende o equilíbrio que permite Ser. Aqui o “eu sou” se identifica com o “tu és”.
  • O 5º raio de Inteligência Concreta (Vênus) é a essência deste ângulo do horóscopo, a luz mental objetiva que oferece a possibilidade de gestar e atuar com sabedoria a poderosa intenção do “eu sou”.


Meio do Céu – Casa 10
  • Este é o lugar de culminação, onde o entorno social se faz eco da realidade espiritual do sujeito. A casa 10 é o complemento da casa 4, porque o conflito dual que se gera na casa 4 com a obrigada convivência da aspiração da Alma na “prisão” de um corpo físico, só pode ser resolvido manifestando a realidade espiritual interna como serviço liberador em casa 10.
  • O 3º Raio de Inteligência Prática (Saturno) é o dono deste lugar, o triângulo é seu símbolo, a inteligência se faz prática e flexível graças à aceitação responsável das regras do “jogo”. A responsabilidade ou disciplina permite a correta expressão.








Áries – Câncer – Libra – Capricórnio

Os quatros signos da cruz cardinal são os donos simbólicos dos quatro ângulos de um horóscopo, devido a que na Cruz Cardinal se esconde o mistério da manifestação da vida que se expressa través da atividade da matéria.

Áries, o fogo mental divino, se reveste de sensível amor em Câncer para, através do intuitivo equilíbrio de Libra, poder materializar uma expressão terrena inteligente e prática em Capricórnio.




Os 4 regentes das casas cardinais:   Marte - Lua  versus  Vênus – Saturno

Estes quatro planetas são os regentes simbólicos dos 4 ângulos cardinais, lembrando que dizemos simbólicos porque só temos em conta o regente do significado do ângulo em si mesmo e não o regente do signo zodiacal que em determinado horóscopo pode presidir referido ângulo.

Marte – Lua, planetas considerados não sagrados pela astrologia esotérica, são os donos das casas 1 e 4, frente aos planetas sagrados Vênus e Saturno, donos das casas 7 e 10. Isto dá a entender que em toda reencarnação o poder autoafirmativo com sua forma de expressão incorporada que o “eu sou” traz consigo em casas 1-4, deverá ser cotejado, posto à prova, complementado e purificado, através das casas 7-10 e seus planetas sagrados regentes.

A sabedoria aplicada de Vênus suaviza Marte, a lei e a ordem de Saturno encaminham para a Lua. A indulgência lunar tem que ser disciplinada, a agressividade ou rebeldia marcial necessita da luz da sabedoria.




A presença do signo / planeta nestes 4 lugares 

É importante entender que estes 4 ângulos cardinais ostentam o poder ativo de todo horóscopo, poder energizado qualificado e matizado pelo signo dono do ângulo e seus regentes. Este poder angular junto com a qualidade do signo são vistos claramente reforçados quando um ou vários planetas estão presentes em um ou mais destes 4 ângulos. Quando isto ocorre, o planeta em questão se converte em uma lente que aumenta sensivelmente a capacidade de expressar a qualidade do signo angular. É claro que, dando um exemplo muito evidente, que não é o mesmo um ascendente Áries com Marte em Piscis, que um ascendente Áries com Marte em Áries; neste ultimo caso se unem signo-planeta-ângulo e inclusive regência exotérica, gerando com isso uma grande ancoragem para a manifestação da qualidade ariana através do significado da casa 1 e sua complementar casa 7.

Quando analisamos um ângulo em sua totalidade (o ângulo por si mesmo, signo, regentes, presença de planetas e/ou aspectos por oposição) não devemos cair na tendência de relacioná-los tanto como a astrologia de antigamente, situações “malignas ou benignas”, mas antes pensar que se um determinado planeta/signo alcançou uma posição de dignidade angular na carta natal, suas positivas razões terá a aspiração da Alma que reencarna por ter querido assim.

Assim, todo signo/planeta situado em um dos 4 ângulos cardinais do horóscopo são a oportunidade para manifestar no mundo exterior, através das energias e qualidades que eles entesouram, a intenção da consciência, a Alma, que se abriga na totalidade do horóscopo.







                              A inter-relação das três cruzes
A constante luz da cruz fixa (símbolo da Alma) gera a compreensão interna que produz a mudança vital na cruz mutável (símbolo da Personalidade), mudança ou mutabilidade que permite a manifestação ativa da intenção da alma na cruz cardinal (símbolo do Espírito) 

*  *  *  *  *  * 




2 Parte
No próximo artigo realizaremos um pequeno estudo do poder que ostentam os ângulos em uma carta natal baseado em dois exemplos muito significativos para nós, os estudantes de astrologia esotérica.




* Para o pensamento esotérico, os conceitos corpo físico, aspecto material, forma, aparência, corpo de expressão, ..., são sinônimos que fazem referência à tríade lunar inferior: o físico-emotivo e mental concreto unificado em determinada vida em uma forma especifica. Esta forma que contém a mente concreta, o corpo sensível e o físico de sensação, pode estar motivada pela personalidade (sol), ou pela Alma (signo ascendente), isto dependerá, como é lógico, do tipo de consciência que rege a totalidade.


David C.M. ( logos.astrologiaesoterica@gmail.com )

sexta-feira, 29 de agosto de 2014

O 4º RAIO DE BELEZA E HARMONIA NO HORÓSCOPO







OS 7 RAIOS NO HORÓSCOPO

Até onde sabemos, pela leitura dos livros esotéricos, o UNO utiliza as Suas 3 qualidades primordiais de Vontade-Amor-Inteligência para manifestar no universo ou aspecto matéria as Suas 7 energias básicas, construtoras e responsáveis da evolução desse universo.

A analogia perfeita disto é o experimento feito por Isaac Newton, no qual, quando o raio de luz pura (símbolo da intenção do UNO) faz contato com o prisma triangular (3) se manifestam as 7 cores básicas.

No plano físico astronômico, segundo nos diz a astrologia esotérica, na Via Láctea estas 7 energias básicas se manifestam através do triângulo formado pela Ursa Maior (o aspecto vontade), as Plêiades (o aspecto inteligência), e Sirius (o aspecto amor).

Seguindo a escala descendente, cada uma destas 7 qualidades chega ao nosso sistema solar através de três constelações diferentes e seus planetas regentes, concentrando finalmente o efeito principal em um dos 7 planetas sagrados.

Os 7 planetas sagrados ou chacras que conformam o corpo do nosso sistema, corpo que, como tal, tem uma autoconsciência: O Sol, que com sua luz permite que os 7 planetas sejam refletidos nos 4 reinos (mineral-vegetal-animal-humano) da nossa Terra.

Por pura lógica astrológica, quando estas 7 qualidades fazem impacto sobre o nosso planeta, isto necessariamente deve ficar refletido no horóscopo de uma nação, associação, ser humano, ou evento. E seguindo a mesma lógica, tal reflexo se fará mais evidente quanto maior grau evolutivo presente a “entidade” dona do horóscopo.

No nível de Consciência reside o segredo do nível de pureza expressiva dos 7 na matéria. Quanto mais perfeito é o prisma, mais claro é o arco-íris.






"El puente de Langlois" de Vincent van Gogh

Intenção do artigo e método de estudo


Dito isto, a pergunta é:

se é possível realmente ver em uma carta natal o reflexo do Raio maior da Alma e do Raio menor da personalidade?”


Neste artigo é nossa intenção demonstrar que a resposta é “sim”, sobretudo se nos fixamos nos horóscopos das Almas-personalidades que por suas obras já demonstraram um alto nível de implicação (autoconsciência) com o destino energético de seu raio maior.

Primeiramente, e com intenção de “andar” de maneira segura, nosso estudo fará eco de uma afirmação escrita pelo Mestre DK e Sua discípula Alice Bailey, para depois procurar demonstrar a verdade de tal afirmação através da análise dos horóscopos das almas pertinentes. Diríamos que partindo de um “ato de fé” para com a afirmação do Mestre, conseguiremos confirmar, através do estudo que esta nos motiva, a razão do afirmado.

As 2 afirmações deste primeiro estudo foram extraídas do livro Psicologia Esotérica I e têm uma relação direta em como as qualidades do IV Raio de Harmonia no Conflito e as do VII de Ordem e Cerimonial afetam poderosamente o artista criador de beleza e cor. Embora talvez a parte mais importante da afirmação e, portanto, do estudo, recaia sobre as qualidades do IV Raio.




  • As 2 Afirmações-chave feitas por DK-Alice Bailey

O IV Raio de Harmonia através do Conflito é preeminentemente o raio da cor, do artista, cujo colorido é sempre admirável, embora seus desenhos muitas vezes sejam defeituosos. O homem de quarto raio ama a cor, e geralmente pode criá-la. Se não teve entretenimento como artista, com toda certeza o sentido de cor se expressará em outra forma, como seleção no vestir e na decoração.


O VII Raio de Ordem Cerimonial ou Magia é o raio da forma, do perfeito escultor que vê e produz a beleza ideal, do desenhista de belas formas e dos modelos de qualquer tipo; mas um homem assim não teria êxito como pintor, a não ser que o quarto raio exerça influência. A combinação do quarto com o sétimo raio poderia dar o tipo mais elevado de artista, a forma e a cor seriam sublimes.



Temos de entender que estas afirmações são extraídas de um contexto maior, portanto não há que pensar que somente os raios 4 ou 7 são criadores de artistas, pelo contrário, já que o artista, assim como o pensador escritor, médico, cientista, religioso, periodista, ocultista, político, músico, comerciante… podem se dar em todos os raios, mas como diz o mesmo escrito, se queremos encontrar o tipo mais elevado de artista, necessariamente em seu horóscopo deverá estar refletida claramente a huela do IV e o VII.




  • Qualidade do IV Raio de Harmonia através do Conflito

As energias do IV Raio, segundo nos diz a astrologia esotérica, chegam ao nosso sistema solar através de TOURO-ESCORPIÃO-SAGITÁRIO e seus regentes, alcançando a síntese perfeita em Mercúrio.

O IV raio, o mediador divino, é a energia que está no centro, captando e relacionando com seu talento os três de cima com os três de baixo. Ele sempre está em meio e sua constante interação, luta, paixão ou conflito por alcançar o ansiado equilíbrio dá como resultado luminosa intuição, síntese ou harmonia. No caso da arte criadora do pintor, referida paixão ou conflito é a antessala da tensão criativa que permite a expressão da beleza ou harmonia da cor.

Mercúrio é o planeta sagrado que sintetiza os poderes do IV Raio para o bem da humanidade, oferecendo mobilidade e relação entre as energias de cima com as de baixo e assim alcançando, com sua atividade dual comunicativa, a intuição unificadora.




  • Qualidade do VII RAIO de Ordem Cerimonial ou Magia

As energias do VII Raio chegam ao nosso sistema solar através de CÂNCER-CAPRICÓRNIO-ÁRIES e seus regentes, alcançando a síntese perfeita em Urano.

O VII raio, é o materializador divino, a energia que mais relacionada está com o plano físico, é portanto a energia divina que melhor pode vitalizar a inerte matéria. Matéria que em seu aspecto mais básico é o reino mineral, lugar onde o sétimo raio é o responsável pela ordem ou geometría que permite que excitem as chamadas pedras preciosas, demonstrando com isso a capacidade de transmutar a matéria mais tosca. O deleite na disciplina que oferece esta energia, permite ao artista o aperfeiçoamento do diário ritual do desenho, que mostra a proporção divina da forma e sua ordem magnética dentro da branca tela ou todo maior.

Urano, o planeta sagrado do VII Raio é a energia que desvela o mistério divino na matéria. A ordem ou brilho externo sempre são um reflexo da verdade interna. Ordem, magia, cerimonial, originalidade, geometria, irradiação são sinônimos para esta energia.







"El sueño del caballero", de Rafael Sanzio


Os 11 horóscopos de exemplo


Agora lhes apresentamos uma série de 11 horóscopos de grandes pintores da história, que consideramos que, por serem merecedores de semelhante distinção, são maravilhosos exemplos para observarmos como se comporta no horóscopo a energia que, segundo nos diz o Mestre, tanto os condiciona.

Nos breves comentários expostos abaixo sobre cada carta natal não atentamos para Urano, já que não detectamos que seu papel seja suficientemente significativo, algo que detectamos muito claramente em Mercúrio. Talvez assim seja porque, nos píncaros da arte da pintura, as qualidades do IV Raio exercem mais poder que as do sétimo.

Pedimos aos interessados neste estudo que observem os horóscopos abaixo expostos com abrangência, sem centralizar a atenção em um aspecto concreto da carta, planeta, ou configuração, já que nesta atitude há uma tendência a esquecer a síntese inclusiva do todo. Olhemos para eles como almas que são, sabendo que pertencem aos grandes mestres da arte da cor considerados pela história. Em última instância, para toda consciência avançada, as tensões, configurações difíceis, ou detalhes astrológicos que possa mostrar seu horóscopo, são a oportunidade para avançar no caminho.

Cada carta tem em sua base um breve comentário que faz referência ao que nós consideramos os pontos-chave em relação ao nosso estudo:




Leonardo da Vinci


O Mestre Tibetano, nos livros de Alice Bailey, nos diz que o grande gênio do renascimento italiano foi uma Alma do IV Raio com grande capacidade de expressar muito fielmente a pureza deste raio, graças ao grande nível evolutivo que atesourava.
Neste horóscopo, a linha dos 3 signos do IV Raio está claramente definida: Ascendente Sagitário e seu regente esotérico, a Terra, em Escorpião, em oposição a Sol-Vênus em Touro. É possível entrever o VII Raio no poder que exerce Áries angular através de Mercúrio. Mercúrio está dignificado em Áries e fortemente tensionado através de Saturno.





Rembrandt:

Nesta carta há certo equilíbrio entre os raios 4 e 7, embora o poder angular (planetas incluídos) que ostenta a linha Escorpião-Touro, dê maior relevância ao IV Raio. Por outro lado, Mercúrio aparece novamente aspectado duramente (oposição aplicativa) por parte de Saturno. Em relação à linha Virgem-Peixes, está regida esotericamente pela Lua em Escorpião e Plutão em Áries, signos representantes do IV e VII raios, respectivamente.



Pablo Picasso

É claro que na carta de Pablo Picasso a linha de signos do IV está em plenitude de poder, embora não há que esquecer que o importante Marte, regente de seu Sol e Mercúrio, está em Câncer, signo do VII Raio. Mercúrio, como em quase todas as outras cartas, está muito tensionado, neste caso pela oposição aplicativa que exerce para Plutão. 





J.M.W. Turner

O grande pintor inglês de romantismo mostra muita energia taurina angular do IV Raio, estando o selo do VII Raio inscrito bastante mais debilmente na linha ascendente Capricórnio-Câncer. Mercúrio em Áries, na luz de sua regência esotérica, uma vez mais mostra a nobreza de um duro enfrentamento com Saturno.

  
 
Vicent Van Gogh

Na carta do grande pintor impressionista holandês, o IV Raio mostra um equilíbrio muito forte com o VII. Os signos do IV Raio não estão em nenhum ângulo da carta, mas o poder que exercem os planetas de Peixes no MC está regido exotericamente por Júpiter em Sagitário e esotericamente por Plutão em Touro, dois signos representantes do IV Raio. Por outro lado de novo aparece um Mercúrio em seu signo da Alma e tensionado pela conjunção aplicativa que exerce sobre Plutão.


Rafael Sanzio

Neste gênio do Renascimento italiano fica muito claramente delineada a linha de signos do IV Raio, sem esquecer o poder que exerce Áries, como representante do VII Raio. Mercúrio recebe como em quase todas as demais cartas, um duro aspecto, é este caso de Saturno, por oposição.



Francisco Goya

Infelizmente não dispomos do Ascendente do gênio espanhol, mas ainda assim é possível observar uma forte presença dos signos Áries e Câncer de VII Raio, e certa presença de Escorpião Sagitário, signos do IV Raio. À falta de conhecer o ascendente, neste horóscopo a linha de signos do VII raio tem poder muito maior que o IV. Mesmo assim, cabe a possibilidade de pensar que a percepção global seria diferente se o seu ascendente fosse Escorpião, Touro ou Sagitário, não acham? Mercúrio, na luz de Áries, de novo recebe um duro e próximo aspecto de Saturno.


August Renoir
No horóscopo do grande pintor francês, Áries nos fala do VII Raio, mas Marte em Escorpião como regente exotérico de Áries junto com a grande dignidade de Júpiter angular em casa X em Sagitário, como regente esotérico do Ascendente e exotérico de seus planetas em Peixes, nos falam muito claramente a favor do poder do IV Raio. Mercúrio novamente nesta carta aparece fortemente tensionado.



George Frederic Watts
Neste caso também sabemos por palavras do próprio DK, no livro de A.Bailey Psicologia Esotérica I, que foi um pintor com uma Alma de IV Raio e uma personalidade do 2°.

É claro que o raio da Alma se detecta muito bem na linha horizontal - angular definida por Touro Escorpião Sagitário. O II Raio de sua personalidade reside no poder que ostenta Peixes, um dos signos que junto a Virgo e Gêmeos aporta a nosso sistema solar a energia do II Raio. Júpiter como regente deste raio situado em Sagitário, signo do IV Raio, tem muito a dizer nesta carta. 

 
 
Joan Miro

Na carta natal do grande pintor catalão novamente se impõe a linha Escorpião-Touro sobre as demais, sem esquecer o poder que exerce Áries em relação ao VII Raio. As importantes energias de Gêmeos, por regência, nos levam a Áries, mas os planetas Urano e a Terra em Escorpião têm muito a dizer nesta carta, porque, em definitivo, são os regentes hierárquicos* de Áries e Gêmeos, respectivamente. Mercúrio, em seu signo da Alma, aparece de novo fortemente afetado pela oposição.


Toulouse-Lautrec
Finalizamos o estudo com a carta deste grande pintor impressionista francês, na qual podemos observar como novamente se impõem os signos Escorpião-Touro-Sagitário, por sua angularidade e regências. A quadratura em T de Netuno-Vênus-Lua que mostra este horóscopo tem uma relação direta com o VII Raio, mas Mercúrio é o regente esotérico de Netuno em Áries, o planeta impessoal que manda sobre a inércias mas lunares-venusianas de referido T quadrado. Claramente a carta mostra uma vez mais um Mercúrio em conflito.



Outros exemplos com resultados muito similares
Quem quiser ajustar mais o estudo, observar como se repete o padrão nos horóscopos de Diego Velazquez (web astrotheme),  Claude Monet, Henri Matisse, Alberto Durero (Albretch Dürer), Edward Munch, Dante Gabriel Rossetti, Johannes Vermeer, Salvador Dali, Hokusai, Michelangelo, Vasili Kandinski, Tauguharu Foujita, Fra Bartolomeo, Caravaggio, Paul Cezanne, F. Bacon (pintor), Paul Klee, Maurice Estève, Antoni Tapies, Jackson Pollock, Piet Mondrian,  todos eles considerados grandes representantes da arte pictórica.








Arundel Castle, con el arco iris, 1824 de William Turner 

CONCLUSÃO


Uma vez feito o estudo, constatamos muito claramente as seguintes tendências:

  • Em relação ao IV Raio, detectamos uma poderosa colocação de seus signos (Escorpião-Touro-Sagitário) em casas angulares (1-7, 10-4) com a presença de importantes planetas.

  • Em relação a Mercúrio, detecta-se uma grande dignidade por signo. Para a astrologia esotérica, este planeta é regente esotérico de Áries e Hierárquico* de Escorpião. Referida dignidade em muitos casos está em tensão com planetas duros como Saturno ou Plutão. O conflito está servido, e o triunfo pela dignidade e importância regente que sustenta Mercúrio está assegurado. Desde a astrologia mais básica tradicional, poderíamos dizer que estes artistas não se dedicaram à arte da palavra falada devido a seu Mercúrio tão mal aspectado, mas, bendito mau aspecto! Eis aqui um exemplo de que a dificuldade é a oportunidade.

  • Em relação ao VII Raio, detecta-se uma presença de Áries muito poderosa em quase todas as cartas. É importante destacar que Mercúrio e Marte põem Áries em relação direta com Escorpião e Sagitário, já que por um lado Mercúrio é regente esotérico de Áries e hierárquico* de Escorpião, e por outro lado Marte é regente exotérico de Áries e exotérico e esotérico do Escorpião, e hierárquico* de Sagitário.

  • Detectamos certa importante presença de Peixes Virgem e Gêmeos portadores da energia do II Raio de Amor Sabedoria, embora tal presença não esteja secundada pela regência.



Nós nos atreveríamos a dizer então, que os pintores aqui analisados astrologicamente foram todos almas do IV Raio, e que muitos deles ostentaram uma personalidade do 7 Raio e os menos do 2 Raio.


É claro que eles já demonstraram com seus fatos seu nível de implicação com a “ciência” da cor, a beleza captada por aquele que ama, luta, olha, se orienta, intui, e se expressa sobre um linho branco; e que é graças ao grau de implicação que eles nos mostraram com seu destino, que nós lhes agradecemos a oportunidade, que seus horóscopos são para nós, de poder aprofundar na ainda muito desconhecida ciência dos 7 Raios – 12 Signos – 7 Planetas.



David C.M. (logos.astrologiaesoterica@gmail.com)





"Anunciación" de Leonardo da Vinci

* três tipos regência: exotérica, esotérica, hierárquica
A astrologia esotérica proposta por Alice Bailey, contempla três tipos de regência. A Exotérica, relacionado com o aspecto mais material e pessoal do indivíduo. A Esotérica, relacionada com o aspecto amor, ou a alma como consciência mediadora do indivíduo. E a Hierárquica, relacionada com o aspecto vontade, ou a dinâmica espiritual criadora do indivíduo. Os três aspectos são considerados sagrados por nossa astrologia, porque na união dos 3 está a perfeita expressão do 1; embora pareça lógico pensar que para alcançar referida unidade, primeiramente se evolui desde as experiências mais básicas inscritas no regente exotérico, para alcançar paulatinamente as mais sublimes que o regente hierárquico promete, e tudo isso graças à constante aquisição de autoconsciência, representada pelo regente esotérico.

Não gostamos de falar muito do regente hierárquico, consideramos que nesses dias já é uma grande novidade e complexidade incluir nas análises astrológicas o regente esotérico junto com o exotérico, mas muitas vezes nos vemos obrigados a utilizar o terceiro para arredondar melhor o raciocínio.

Apresentamos a tabela de regências, base dos nossos estudos, proposta por Alice Bailey em seu livro Astrologia Esotérica.

Tabela de regências

Constelação   Ortodoxa     Esotérica      Hierárquica

Áries                  Marte               Mercúrio            Urano
Touro                Vênus               Vulcano              Vulcano
Gêmeos              Mercúrio          Vênus                 A Terra
Câncer              A Lua                Netuno               Netuno
Leo                    O Sol                 O Sol                  O Sol
Virgo                 Mercúrio            A Lua                Júpiter
Libra                  Vênus                 Urano                Saturno
Escorpião           Marte                 Marte                 Mercúrio
Sagitário             Júpiter                A Terra               Marte
Capricórnio        Saturno              Saturno               Vênus
Aquário              Urano                 Júpiter                 A Lua
Peixes                 Júpiter                Plutão                 Plutão



"la gallina ciega", de Francisco Goya


 
"mujer", de Picasso

 


"la tormenta en el mar de Galilea" de Rembrandt




"Esperanza" de Watts
 

"la lechera" Johannes Vermeer



"la masia", de Joan Miro




"las hilanderas", de Diego Velazquez